Bate-papo Célula

RESPONSABILIDADE PESSOAL!
Assim, cada um de nós prestará contas de si mesmo a Deus (Romanos 14.12). É assim que Paulo, inspirado por Deus, fala aos crentes moradores da cidade de Roma, quando estavam tendo problemas com relação ao julgamento e acusações existentes entre os irmãos sobre se poderiam ou não comer carne sacrificada a ídolos ou beber vinho. Mas a questão a ser destacada no texto é a da responsabilidade pessoal e consciência sobre a prestação de contas ao único Deus que existe, soberano e que é perfeito em julgar. Saiba – nós seremos julgados! A bíblia é clara a respeito disso: Portanto, você, por que julga seu irmão? E por que despreza seu irmão? Pois todos compareceremos diante do tribunal de Deus (Romanos 14:10). É verdade – todos compareceremos diante do tribunal de Deus. Diante dessa verdade retumbante, certamente aqueles que se consideram cristãos, deveriam se preocupar com o julgamento. Podemos crer, pelo que a bíblia ensina, que somente os crentes verdadeiros, porque não dizer maduros, irão para o céu. Quem são os crentes maduros? São os servos de Deus conscientes de que estarão por conta própria diante de Deus, apesar das opiniões das pessoas que admiram e até desejam ter uma vida parecida com a delas. Jesus é o nosso advogado hoje, enquanto estamos aqui na terra, pois na eternidade ele vestirá a toga de juiz, e o Deus trino nos julgará. A consciência do julgamento e a certeza da absolvição, não podem gerar em nós uma alto-confiança falsa, estimulando-nos a realizar o que quisermos ou até interpretarmos a bíblia ao nosso bel prazer e de nossa própria maneira. Precisamos saber encontrar na bíblia a mensagem correta com uma interpretação a prova de qualquer hermenêutica, pois a Palavra de Deus é que nos julgará: Pois a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; ela penetra ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e intenções do coração (Hebreus 4:12). Observe a última expressão do texto bíblico: “... julga os pensamentos e intenções do coração”. Quando somos conscientes do amor de Deus em nos absolver de nossos pensamentos e intenções, isso gera temor de Deus, caso contrário estaremos enganando a nós mesmos, convencidos de nossas verdades egoístas e inconsistentes. Mesmo sendo Deus um julgador misericordioso e imparcial, é exigido temor de nossa parte: Uma vez que vocês chamam Pai aquele que julga imparcialmente as obras de cada um, portem-se com temor durante a jornada terrena de vocês (I Pedro 1:17). Infelizmente há os que não tem temor pela Palavra de Deus. Afirmam que temem a Deus, mas sua fé não passa da fé em sua própria fé, longe de uma fé inabalável, completamente bíblica. Quando não nos importamos com ensinamentos claros que deveriam gerar temor, cumpre-se em nós a própria profecia: Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, sentindo coceira nos ouvidos, segundo os seus próprios desejos juntarão mestres para si mesmos. Eles se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando-se para os mitos (II Timóteo 4:3,4). Deus escolheu pecadores para serem líderes da sua igreja, à esses líderes pecadores arrependidos de seus pecados, graciosamente Deus deu dons espirituais para ensinar e liderar o seu povo. O véu foi rasgado, é verdade. Não há mais intermediário entre nós e Deus, também é verdade. Mas Deus nos ordena a sermos submissos aos líderes, para que nos ensinem, não algo novo, mas sim aquilo que ele já nos revelou: Mas o Conselheiro, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, lhes ensinará todas as coisas e lhes fará lembrar tudo o que eu lhes disse (João 14:26).

BATE PAPO – Você se considera uma pessoa obediente a Palavra de Deus? Como você acha que será a sua reação quando estiver diante do trono de Deus?

Pr. Luciano Estevam Gomes